TSF

  • Menu
  • Em Directo
INFARMED

«Aero-om» retirado do mercado

O «aero-om», um dos medicamentos mais conhecidos pelos pais, formado por umas gotas cor-de-rosa, utilizadas na prevenção das cólicas dos bebés foi retirado do mercado.

PUB

O Infarmed mandou retirar do mercado o «aero-om», umas gotas muito utilizadas em pediatria. Depois de uma inspecção, o Infarmed concluiu que o laboratório que produz o medicamento não oferece as condições de segurança exigidas pelas autoridades sanitárias.

O laboratório foi agora proibido de produzir qualquer medicamento destacando-se o «aero-om».

As famosas gotas cor-de-rosa de sabor adocicado foram retiradas a semana passada do mercado, depois da inspecção feita pelo Infarmed ao laboratório da OM Portuguesa.

O laboratório registava várias irregularidades técnicas, mas segundo o vice-presidente do Infarmed, Rogério Gaspar, o principal problema encontrado foi a falta de condições de segurança para fabricar medicamentos.

A unidade «decidiu produzir medicamentos sem estar licenciada, há uma incorrecção do ponto de vista administrativo e do ponto de vista legal», referiu o responsável.

Apesar desta irregularidade, o Infarmed detectou que em vários pontos da unidade, do ponto de vista técnico, o laboratório «não oferecia garantias de segurança».

O laboratório está assim encerrado e todos os medicamentos produzidos pela empresa foram retirados das farmácias, entre eles o «aero-om».

Este medicamento, utilizado em situações de cólicas e dores de barriga de bebés e crianças, foi retirado por precaução e segundo o Infarmed, não está em causa a saúde pública, mas as normas obrigam à realização de testes.

Apenas quando existirem resultados das análises, é que se sabe se o «aero-om» volta ao mercado ou não.

No mercado, não existe qualquer medicamento alternativo a estas gotas cor-de-rosa.

  COMENTÁRIOS