EDIA

Adérito Serrão demite-se porque não se revê no projecto do Alqueva

O presidente demissionário da EDIA - Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas de Alqueva demitiu-se, esta sexta-feira. Ontem, Adérito Serrão comunicou a decisão aos seus colaboradores admitindo que não se revê no projecto do Alqueva.

«A alteração introduzida pelo accionista ao conceito inicial da EDIA e do EFMA (Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva) que subscrevi e no qual fui parte activa desde há dez anos, não reflectindo propostas que oportunamente apresentei, conduziu-me à consideração de que não posso continuar intérprete de um projecto e de um modelo nos quais não me consigo rever plenamente e em cuja sustentação não acredito», pode ler-se numa nota interna que Adérito Serrão enviou por e-mail, quinta-feira, a todos os trabalhadores da EDIA.

Adérito Serrão esclarece ainda que a sua renúncia ao cargo foi apresentada a 8 de Fevereiro, dia em que a barragem encerrou comportas.

O presidente demissionário da EDIA diz que continua a «acreditar em Alqueva e nas suas potencialidades para sustentação de um modelo de desenvolvimento que traga ao Alentejo e às suas populações níveis de bem-estar e prosperidade compatíveis com as aspirações legitimamente sentidas pelos alentejanos».

«Continuo igualmente a acreditar na EDIA e no papel que poderá desempenhar neste processo, desde que criadas as condições necessárias à sua sustentabilidade e ao aproveitamento do seu enorme potencial em favor do projecto e da região», acrescenta Adérito Serrão.

  COMENTÁRIOS