chocalho na Unesco

A arte de "trabalhar por cima do céu" quer ser Património Mundial

Começa esta segunda-feira na Namíbia a reunião do Comité do Património Cultural Imaterial da Unesco, que vai avaliar a candidatura do fabrico de chocalhos a património com necessidade de salvaguarda urgente. A TSF visita Alcáçovas, a capital dos chocalhos.

Em Portugal, as primeiras referências documentais sobre o fabrico de chocalhos remontam ao século XVIII, na vila de Alcáçovas, concelho de Viana do Alentejo, onde a indústria chocalheira chegou a ser a atividade económica mais importante, em meados do século XIX.

A produção começou a decair devido às mudanças no mundo da pastorícia e à quebra da procura, mas a técnica usada no fabrico de chocalhos é a mesma desde o séc. XVIII, a única alteração foi a substituição da forja pelo forno a gás.

A TSF visita Alcáçovas, a capital dos chocalhos, onde se mantém a produção na fábrica Chocalhos Pardalinho, fundada por um dos mestres chocalheiros mais antigos do país.

O fabrico de chocalhos sempre foi uma atividade metalúrgica reservada aos homens e a técnica era transmitida na família, de pais para filhos ou de tios para sobrinhos. Mas em Alcáçovas houve uma mulher a fazer chocalhos.

Há quem fale por isso em GPS do gado, ou de um objeto que marca a paisagem sonora em várias zonas do país. A TSF ligou o microfone junto a uma herdade em Alcáçovas e conversou com um vaqueiro sobre o passado e o presente dos chocalhos

Mestre chocalheiro ou "aquele que trabalha por cima do céu". A ideia vem do século XVIII, tal como a técnica que se mantém inalterada até hoje, a única mudança foi a substituição da forja pelo forno a gás. O chocalho é feito a partir de uma chapa de ferro moldada a frio numa bigorna, com um martelo, até ganhar forma de um copo, dentro do qual é colocado um batente. Depois até ganhar o som, há várias outras etapas.

Reportagens de Isabel Meira com sonoplastia de José Guerreiro.

A Reunião da Unesco começa esta segunda-feira de manhã, em Windhoek, a capital da Namíbia. A candidatura portuguesa deve ser analisada terça-feira.

A TSF viaja a convite do Turismo do Alentejo.

  COMENTÁRIOS