Cinema

Cinema sem preconceitos no regresso do Arroios Film Festival

A 2.ª edição do Arroios Film Festival arranca este sábado com 38 curtas-metragens na competição e vai ter, pela primeira vez em Portugal, uma sessão com audiodescrição para invisuais.

A inclusão e o combate ao preconceito dão mote a mais uma edição do festival que decorre na freguesia mais multicultural do país, com mais de 90 nacionalidades.

A organização do Arroios Film Festival, sob a direção do realizador iraniano Reza Hajipour, recebeu este ano 3540 candidaturas de 122 países. Destas foram selecionadas 38 curtas-metragens que vão participar na competição.

Nas categorias de "Ficção", "Documentário" ou "Animação", as curtas-metragens chegam de todos os pontos do globo: África do Sul, Alemanha, Brasil, Canadá, Coreia do Sul, Croácia, Eslovénia, Espanha, Estados Unidos, Filipinas, França, Índia, Irão, Itália, Marrocos, Portugal, Reino Unido e Sérvia.

No final, a 16 de setembro, serão entregues quatro prémios: AFF Best Short Film, no valor de três mil euros, Best Narrative Short Film, Best Short documentary e Best Short Animation, no valor de 1500 euros cada.

Também no dia 16, o Arroios Film Festival apresenta uma novidade. Pela primeira vez em Portugal, um festival de cinema vai disponibilizar audiodescrição numa sessão única, a partir das 19h, limitada a dez pessoas, no auditório da Escola Secundária de Camões, em Lisboa.

Na audiodescrição, "o audiodescritor descreve todas as informações que são exclusivamente passadas através de meios visuais, tais como a descrição física dos personagens, ambientes e planos usados do filme. Esta informação, extra, é inserida pelo audiodescritor nas pausas do áudio do filme e também durante os diálogos", explica a organização.

Este ano, para além dos filmes, também haverá concertos ao vivo.

  COMENTÁRIOS