Irão

"Ivanov": Tchekov visto por um encenador iraniano

Ivanov é um mito. Um homem atolado em dívidas, que perde a vontade de viver. Um símbolo de uma melancólica elite russa. É a peça escrita por Anton Tchekov que, mais de 100 anos depois, sobe ao palco do teatro do Campo Alegre, no Porto.

O encenador, Amir Reza Koohestani, encontra semelhanças entre a cidade de São Petersburgo de 1889 e o Irão da atualidade.

Parecenças que se manifestam no clima social.

É a partir do clássico russo "Ivanov" que Amir Reza Koohestani faz subir aos palcos uma das mais profundas reflexões teatrais sobre o Irão de hoje.

Neste espetáculo de Koohestani, que conquistou o prémio de melhor produção teatral no seu país e tem percorrido vários palcos na Europa, Ivanov aparece como um solitário, perdido nas fantasias de uma revolução desfeita. É o espelho de uma geração que parece imbuída de uma nostálgica passividade face às notícias que a rodeiam e sobre a qual recai apenas uma pergunta: o que fazer agora?

A peça é interpretada em farsi e legendada para português.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

  COMENTÁRIOS