Música

Festival Mimo: muito mais do que apenas música

O Festival Mimo começa já esta sexta-feira em Amarante e com nomes sonantes como Herbie Hancock, Nação Zumbi, Richard Bona, Ricardo Ribeiro ou Manel Cruz. Mas há muito mais para ver e fazer.

Programa educativo com masterclasse de Pedro Jóia, Workshops e Oficinas, Fórum de Ideias com palestras da Nação Zumbi, Jards Macalé, Ricardo Ribeiro ou Manel Cruz, Chuva de Poesia com poemas femininos, roteiro cultural guiado na cidade e cinema com os Panoramas Portugal e Brasil e este ano com mais um espaço para além do Cinema Teixeira Pascoaes, é o Mimo Open Air, cinema ao ar livre no Museu Amadeu de Souza-Cardozo. São 15 filmes projetados em dois espaços diferentes; à tarde no Cinema Teixeira Pascoaes e às 22h no Museu Amadeo de Souza-Cardoso

"Mudar de Vida, José Mário Branco, Vida e Obra" e "Tim Maia" são os dois primeiros filmes do programa de cinema que também vai passar por fitas de músicos como "Jards" de Eryk Rocha, "Chico Science, Caranguejo Elétrico" de José Eduardo Miglioli ou "Phil Mendrix" de Paulo Abreu, a história da editora Discotexas ("I Love my Label - Discotexas") de António Sabino, Pedro Gonçalves e Igor Martins, "Talasnal" de João Teotónio, "Celeste" de Diogo Varela Silva ou "Vinicius, Um Rapaz de Família" de Suzana Moraes, entre outros filmes, que vão ser projetados nos três dias do festival.

No Fórum de Ideias, vários músicos vão tomar a palavra, ao fim das tardes de sexta, sábado e domingo; Nação Zumbi "O Movimento Manguebeat", Ricardo Ribeiro "Fado, Alegria Descontente", "Encontro" com Manel Cruz e "Eu Não Preciso de Muito Dinheiro!" palestra de Jards Macalé, sempre no Museu Amadeo de Souza-Cardozo.

E para além do Fórum de Ideias, do Cinema, do Programa Educativo e do Roteiro Cultural pela cidade, há sempre o momento final da Chuva de Poesia, este ano com poemas femininos, no domingo, às 17h30, no Largo de São Gonçalo.

  COMENTÁRIOS