Futebol

Benfica afastado da Taça de Portugal após perder contra o Marítimo

O Benfica foi afastado, esta sexta-feira, da Taça de Portugal, ao perder por 2-1 com o Marítimo. O único golo do Benfica foi marcado através de uma grande penalidade.

Tal como sucedeu na época 2001/02, o Marítimo voltou a afastar o Benfica da Taça de Portugal e vai agora defrontar o vencedor do encontro entre o Sporting e o Belenenses (segunda-feira, em Alvalade) nos quartos-de-final.

O conjunto insular somou, assim, o seu 14.º jogo sem derrotas, onde se contam nove partidas da Liga, três da Taça de Portugal e duas da taça da Liga, conta a agência Lusa.

Nos primeiros minutos, as oportunidades rarearam e o primeiro sinal de perigo foi dado pelo Benfica, aos 16 minutos, num lance conduzido pela direita, concluído com um remate de Witsel, que passou por cima do travessão.

Com mais volume ofensivo que o adversário na fase inicial, o Marítimo procurou sempre o goleador Baba para a finalização, mas a vigilância atenta de Jardel ao senegalês impediu que este chegasse à bola em duas ou três tentativas.

Contudo, aos 27 minutos, num lance rápido do ataque do Benfica, Nolito caiu na área e o árbitro assinalou grande penalidade, apesar dos protestos dos jogadores do Marítimo. Na conversão, Saviola rematou forte, Ricardo Ferreira ainda tocou na bola, mas esta acabou por entrar na baliza.

Pouco pressionante, o Marítimo foi-se tornando presa fácil para os "encarnados", sempre mais objectivos e incomodativos que os insulares.

Na segunda parte, o jogo tornou-se mais vivo e aos 47 minutos, Rodrigo poderia ter marcado, num lance em que o avançado do Benfica contou com a passividade de Roberge. Ainda assim, o remate saiu ao lado.

Mais tarde, aos 52 minutos, no primeiro lance de perigo da sua equipa, Danilo Dias concluiu uma jogada de ataque com um remate forte e colocado a que Eduardo correspondeu com uma boa defesa.

Aos 60 minutos, o Marítimo empatou com um grande golo de Roberto Sousa, um remate feito a grande distância da baliza "encarnada", que surpreendeu o guarda-redes Eduardo.

Aos 64 minutos, João Guilherme lançou Heldon e o cabo-verdiano quase surpreendia Eduardo, que se fez à bola, evitando o golo.

Pouco satisfeito com o desenrolar dos acontecimentos e com a perspectiva de que a sua equipa voltasse a "pegar" no jogo, o treinador do Benfica trocou Saviola por Pablo Aimar.

Do outro lado, empolgado com o tento da igualdade, o Marítimo concluiu a reviravolta, aos 70 minutos, através de Sami, após uma assistência de Roberto Sousa.

Com cerca de 15 minutos para jogar, Jorge Jesus voltou a fazer aposta clara no ataque, com a entrada de Nelson Oliveira para o lugar de Matic.

Aos 76 minutos, Pablo Aimar rematou à vontade, mas Ricardo Ferreira correspondeu com uma defesa atenta.

Nos últimos minutos do jogo, o Benfica insistiu sempre na possibilidade de chegar ao empate, mas o Marítimo não se "encolheu", procurando sempre o caminho da baliza adversária.

Num jogo disputado no Estádio dos Barreiros, arbitrado por Paulo Baptista (Portalegre), perante cerca de 5000 espectadores, as equipas alinharam do seguinte modo:

Marítimo: Ricardo Ferreira, Briguel, João Guilherme, Roberge, Luís Olim, Roberto Sousa, Rafael Miranda, Olberdam (Benachour, 85), Danilo Dias (Heldon, 61), Baba e Sami (Igor Rossi, 88).

Suplentes: Peçanha, Igor Rossi, Heldon, Gonçalo, Benachour, Tchô e Fidelis.

Benfica: Eduardo, Ruben Amorim (Maxi Pereira, 85), Garay, Jardel, Emerson, Matic (Nelson Oliveira 75), Witsel, Saviola (Pablo Aimar, 70), Nolito, Rodrigo e Gaitán.

Suplentes: Mika, Javi Garcia, Bruno César, Aimar, Maxi Pereira, Nelson Oliveira e Miguel Vítor).

Acção disciplinar: Cartão amarelo para Briguel (25), Danilo Dias (27), Gaitán (40), João Guilherme (79) e Rafael Miranda (90).

  COMENTÁRIOS