Sporting

"Bardamerda para todos aqueles que não são do Sporting Clube de Portugal"

Citando o tio-avô Pinheiro de Azevedo, Bruno de Carvalho respondeu aos críticos.

"Foram três meses difíceis, mas hoje foi um dia inacreditável a ouvir comentadores atrás de comentadores", diz o presidente do Sporting, enumerando as críticas que ouviu: "Que sou populista, que sou demagogo, que não tenho ética".

A isso tudo, Bruno de Carvalho, reeleito com 86% dos votos, respondeu: "Vou dizer uma frase que ficou conhecida com o meu tio-avô, que foi Pinheiro de Azevedo, primeiro-ministro deste país. O que ele disse foi "Bardamerda para todos aqueles que não são do Sporting Clube de Portugal"".

Pinheiro de Azevedo ficou conhecido como o "almirante sem medo" e a frase a que aludiu Bruno de Carvalho foi dita durante o cerco ao Parlamento, em 1975.

É também de Pinheiro de Azevedo a frase "Não gosto de ser sequestrado, é uma coisa que me chateia!". Tal como é dele o apelo à serenidade, quando, durante o PREC, numa manifestação de apoio ao VI Governo provisório, se ouviu um rebentamento: "O povo é sereno, é apenas fumaça".

Mas voltemos à frase recuperada por Bruno de Carvalho. Com a Assembleia da República cercada por trabalhadores em greve, alguns manifestantes chamaram "fascista" ao então primeiro-ministro. A resposta de Pinheiro de Azevedo saiu assim: "Bardamerda para o fascista!".

Foi essa a frase que, durante esta madruga de vitória, o presidente reeleito do Sporting adaptou.

Bruno de Carvalho discursava depois de conhecidos os resultados, já madrugada dentro, e foi nessas palavras dirigidas aos adeptos que deixou também a garantia: "Independentemente de sermos constantemente prejudicados, estamos aqui e somos o melhor clube de Portugal, sem dúvida nenhuma!"

"Vocês merecem tudo e nós vamos dar ainda mais", acrescentou.

  COMENTÁRIOS