Suíça

Dirigentes da FIFA detidos por corrupção

Vários dirigentes da FIFA foram hoje detidos na Suíça, a pedido da Justiça norte-americana que solicitou a sua extradição para que sejam julgados por corrupção. Blatter também foi investigado. Notícia não surpreende Figo.

O vice-presidente da FIFA, Jefrey Webb, estará entre os detidos na operação desencadeada esta manhã em Zurique. Apontado como o sucessor de Joseph Blatter, Jeffrey Webb é também presidente da CONCACAF, a Confederação de futebol da América do norte, central e Caraíbas.

A CNN avança que em causa estarão subornos que ultrapassam os 90 milhões de euros, ao longo de 20 anos, relativos a jogos no continente americano.

Esta manhã, foram detidos 6 elementos, que estavam no hotel em Zurique, onde a FIFA está reunida, para escolher o novo presidente, mas a CNN diz que ao todo, são 14 suspeitos.

A investigação começou há mais de três anos, nos Estados Unidos, pelo facto dos alegados crimes terem sido cometidos em solo americano, por entidades que pediram a extradição de dirigentes da FIFA.

A operação terá sido pedida pelo departamento de justiça dos Estados Unidos, para onde os dirigentes da FIFA devem ser extraditados.

O jornal norte-americano "The New York Times" conta que em causa, estão suspeitas de fraude, extorsão e lavagem de dinheiro, em casos de atribuição de campeonatos mundiais, bem como acordos de marketing e direitos de transmissão dos jogos de futebol.

A investigação norte-americana começou há 4 anos e uma fonte ligada ao processo, citada pelo "The New York Times", confessa a surpresa pelo facto da corrupção na FIFA se estender a tantas áreas e por tanto tempo. Diz esta fonte, parece que a corrupção estava institucionalizada.

FIFA diz que está a tentar esclarecer o caso das detenções de seis dos seus altos responsáveis

"Fomos confrontados com as notícias. Estamos a tentar esclarecer a situação. Neste momento, não podemos fazer mais comentários", disse um porta-voz da FIFA, citado pela agência France-Press.

O caso não terá surpreendido Luís Figo. Uma fonte da ex-candidatura do português, citada pela agência Lusa, remete qualquer comentário do antigo futebolista para o comunicado em que anunciou a sua desistência.

A mesma fonte disse que a detenção, em Zurique, de seis dirigentes do organismo que rege o futebol mundial, por acusações de corrupção, "não surpreende" Luís Figo, acrescentando que a suspeição em torno do organismo foi um dos motivos "que o levou a desistir".

  COMENTÁRIOS