Desporto

Eric Pardinho, o primeiro super talento brasileiro do beisebol

Tem 16 anos e acaba de se transferir para o Toronto Blue Jays, da principal liga norte-americana.

É jovem, é brasileiro, sonha com estádios cheios de adeptos a aplaudi-lo, sonha com títulos, com honras, com dinheiro, com fama como, antes dele, sonharam compatriotas como Romário, Ronaldo Fenómeno, Rivaldo, Kaká, Ronaldinho Gaúcho, Neymar e tantos outros.

A diferença é que Eric Pardinho, jovem, brasileiro e com os mesmos sonhos de qualquer craque não é um médio de ataque, um avançado, um ponta-de-lança. É um lançador.

Sim, o Brasil produziu o seu primeiro super talento do Beisebol. Eric Pardinho, 16 anos de idade, acaba de se transferir para o Toronto Blue Jays, da principal liga norte-americana, e receber, logo de caras, um bónus de 1 milhão e meio de dólares.

Natural de Bastos, cidade a 540 quilómetros de São Paulo com forte influência de imigrantes do Japão, um país onde o beisebol é muito acompanhado, Eric já há dez anos, desde os seis, portanto, que se destaca no centro de treinos de Ibiúna, cidade não muito longe da cidade natal.

Em março deste ano esteve com a seleção brasileira num torneio em Nova Iorque e confirmou as indicações: arremessou a bola a impressionantes 150 quilómetros por hora, com as curvas, contracurvas e efeitos essenciais a um bom lançador.

Só a partir dos 18 anos, manda a lei das ligas norte-americanas, poderá competir profissionalmente e colocar o Brasil de Romário, Ronaldo Fenómeno, Rivaldo, Kaká, Ronaldinho Gaúcho, Neymar e tantos outros, desta vez, no mapa do beisebol.

  COMENTÁRIOS