árbitros

Gaspar Ramos: FC Porto e Sporting utilizam árbitros para justificar fracassos

O antigo dirigente do Benfica vai mais longe em relação ao FC Porto, dizendo que "a escola é a mesma. No passado havia um guarda Abel e agora é o Fernando Madureira".

Gaspar Ramos considera que o Benfica faz bem em colocar-se à margem destas polémicas na arbitragem, acusando os rivais de recorrerem aos árbitros para explicar os fracassos. "O Benfica não tem nada a ver com isto, é a melhor equipa, e resolve os seus problemas internamente. Vai ultrapassando os problemas como uma boa gestão que é o que os outros devem fazer e não virarem-se para os árbitros como responsáveis pelos seus inêxitos".

Em relação ao FC Porto, o antigo dirigente endureceu o discurso, falando num passado que diz conhecer bem. "O FC Porto é o que tem menos moral para falar. Esquece-se de tudo aquilo que fez. A escola está já lá, é a mesma. No passado havia um guarda Abel e agora é o Fernando Madureira. Está a criar-se uma situação que já aconteceu no passado. Não traz vantagens para o futebol e para a arbitragem."

No entender de Gaspar Ramos, não é com esta pressão sobre os árbitros que se resolve esta situação. "Os árbitros são pessoas humanas e estão a ser tratados como bodes expiatórios. Cometem erros, mas certamente não de forma propositada. Está a criar-se uma situação de pressão sobre os árbitros, mas não é assim que se resolvem os problemas. A classe tem de ser apoiada e tranquilizada para produzir melhor. Esta pressão é má para todos e para o futebol".

  COMENTÁRIOS