Liga

Nuno Espírito Santo considera "absurdo" e uma "injustiça" o castigo a Brahimi

O treinador dos dragões pede aos árbitros que "sejam justos" e não revela quem vai ocupar o lugar de Brahimi. Sobre o jogo com o Feirense, Nuno Espírito Santo diz que que só a vitória interessa.

Nuno Espírito Santo, treinador do FC Porto, considerou "um absurdo e "uma injustiça" o castigo aplicado a Brahimi na sequência da expulsão no encontro com o Sporting de Braga, da 29ª jornada da primeira Liga portuguesa de futebol, e pediu aos árbitros que "sejam justos".

"É muito difícil explicar aos jogadores e aos adeptos o que aconteceu (...) fomos vítimas claras de uma injustiça. Eu estava lá, no banco, sei o que se passou. E depois disso, o castigo de dois jogos é ridículo. Obviamente que recorremos. Estamos solidários com o Brahimi e queremos que seja reposta a verdade", atirou o técnico dos dragões.

Sobre esse encontro, que terminou empatado a um golo, Nuno Espírito Santo disse também ter ficado preocupado com "as inúmeras faltas que o adversário fez, a dualidade de critérios da equipa de arbitragem".

O FC Porto defronta o Feirense no domingo e Nuno Espírito Santo sublinha que só a vitória interessa. "Há o cenário que nos permitirá ser líderes, o cenário que nos permitirá estar a um ponto ou o de manter a distância de três pontos. Depois do jogo e depois de conquistarmos, à custa do nosso trabalho e do nosso mérito, os três pontos, vamos pensar daí para a frente", defende.

Quanto ao dérbi que se joga em Lisboa, o treinador desvalorizou o jogo que pode ser decisivo para o FC Porto caso o Sporting vença o Benfica no encontro de sábado, admitindo que está apenas focado nos seus jogadores e no jogo dos dragões.

O treinador não revelou quem ocupar o lugar de Brahimi, mas garante que quem jogar "vai corresponder na perfeição".

  COMENTÁRIOS