Desporto

Hóquei em patins: Espanha conquista sétimo título consecutivo

A seleção de Espanha de hóquei em patins conquistou o título de campeã da Europa, pela sétima vez consecutiva, ao vencer Portugal, por 5-4, em jogo da sétima jornada da competição.

Foi a segunda vez que os espanhóis conquistaram um título europeu em Portugal, depois de Barcelos em 1985, confirmando uma hegemonia que prevalece desde 2000, e para esta vitória muito contribuiu Jordi Bargallo, médio do Liceo, autor de três dos cinco golos da equipa.

Num campeonato que estreou o modelo de todos contra todos, Portugal e Espanha chegaram ao derradeiro jogo igualados na liderança, só com vitórias, com vantagem lusa na diferença de golos.

O objetivo de Portugal ficou facilitado pela positiva entrada da equipa, rápida e a conseguir trocas de bola ensaiadas, com sucesso, no jogo da véspera, frente à Alemanha.

Reinaldo Ventura deixou a primeira ameaça, aos dois minutos, com um remate devolvido pelo ferro da baliza de Sergi Fernandez, mas, dois minutos depois, Valter Neves inaugurou o marcador, com um remate frontal, após jogada individual de Ricardo Barreiros.

A Espanha não teve tempo para reagir, pois três minutos volvidos, Reinaldo Ventura aumentou a vantagem, com um remate, colocado, de meia distância.

Carlos Feriche, técnico da Espanha, reagiu de pronto, solicitando um desconto de tempo, que se revelou benéfico, pois a equipa começou a intercetar os passes lusos, a partir da correção de posições em campo, e imprimiu mais velocidade ao seu jogo, através das ações de Jordi Bargallo.

A compensação para a nova atitude dos hexacampeões europeus chegou pelo seu melhor jogador, Pedro Gil, cujo remate de meia distância, aos 12 minutos, permitiu reduzir uma desvantagem que seria anulada aos 15, por Jordi Bargallo, na repetição de uma grande penalidade.

Portugal respondeu bem à pressão do empate e, ao contrário de edições anteriores, em que costumava falhar nos pormenores, repôs a vantagem no mesmo minuto, pelo "veterano" Reinaldo Ventura, de livre direto.

A segunda parte, imprópria para corações fracos, foi de alternância, com a Espanha a conseguir ganhar pela primeira vez vantagem por Pedro Gil, aos 38 minutos, já depois do empate pelo inevitável Jordi Bargallo (23).

Menos eficaz neste período, tendo desperdiçado três livres diretos, Portugal respondeu, no mesmo minuto, por Reinaldo Ventura, de grande penalidade, mas, quando já se fazia a festa lusa nas bancadas, Jordi Bargallo teve uma arrancada que só terminou com a bola no fundo das redes de Ricardo Silva.

Faltavam cinco segundos e já não havia tempo para responder e, com o sétimo triunfo europeu consecutivo, a Espanha passou a somar 16 títulos, encurtando a distância para Portugal, que lidera o "ranking", com 20.

  COMENTÁRIOS