Greve

Pilotos ponderam prolongar greve

Os pilotos da TAP admitem prolongar a atual greve, que teve início a 1 de maio. O sindicato tem verbas que permitem suportar mais de 15 dias de paralisação.

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil pode prolongar o atual período de greve, que já provocou um prejuízo na TAP na ordem dos 10 milhões de euros.

No próximo domingo vai realizar-se uma nova assembleia geral de pilotos e na agenda consta a discussão de novas formas de luta, se até lá não se resolver o braço de ferro entre pilotos, TAP e governo.

Hélder Santinhos, da direção do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil, citado na edição de hoje do jornal Diário Económico, diz que novas medidas serão anunciadas a seu tempo. O dirigente sindical adianta que o prolongamento da greve é uma das formas de luta a adotar e daí, novas paralisações poderão ocorrer na última semana de maio ou na época de feriados de junho.

O Diário Económico avança, ainda, que o fundo de greve criado pelo sindicato para pagar a perda salarial dos pilotos permite suportar mais de 15 dias de paralisação.

Contactada esta manhã pela TSF, a porta-voz da empresa, Lúcia Cavaleiro afirmou que a TAP desconhece qualquer intenção dos pilotos de prolongarem as formas de luta.

Pouco depois foi a vez de o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil desmentir que estejam a ser preparadas novas greves na TAP. À TSF, o assessor da estrutura sindical sublinhou que aquilo que foi dito ontem numa sessão de esclarecimento, com alguns pilotos a admitirem prolongar a greve, não foram afirmações vinculativas.

  COMENTÁRIOS