vítor gaspar

2013: Desemprego 18,2% e recessão atinge 2,3%

O Governo reviu em alta o desemprego e a recessão. A troika deu mais um ano para chegar a um défice inferior a 3%. O corte de 4 mil milhões de euros só é conhecido em abril.

O desemprego, que o Governo previa, no Orçamento do Estado, que atingisse 16,4% vai afinal ser de 18,2% (média anual). Vítor Gaspar admitiu hoje que, no final deste ano, o desemprego pode mesmo chegar muito perto dos 19%.

Em 2014, a nova previsão do Governo aponta para 18,5%. O ministro das Finanças diz que só a partir de 2015 haverá uma redução e em 2016 será de 17,6%.

A recessão foi revista pela segunda vez desde outubro. A nova previsão é de uma queda do PIB de 2,3%.

Há seis meses o Executivo apontava para 1% e já este ano reviu esse número em alta para 1,9%. O Governo e a troika estimam que o crescimento regressa em 2014 (0,6%) e acelera nos anos seguintes (1,5% em 2015 e 1,8% em 2016).

A troika reconheceu que a recessão - em Portugal e na Europa - não iria permitir atingir as metas propostas para o défice e por isso relaxou os limites para cada ano: em 2013 o tecto é de 5,5% (em vez de 4,5%), em 2014 de 4% (em vez de 2,5%) e em 2015 de 2,5% (em vez de 1,5%).

Quanto às exportações, o ministro das Finanças diz que, devido às perspetivas macroeconómicas na Europa, devem registar um abrandamento este ano.

A sétima avaliação da troika terminou há dois dias e Vítor Gaspar apresentou hoje os resultados da visita dos homens do FMI, BCE e Comissão Europeia.

Notícias Relacionadas

  COMENTÁRIOS