Aviação

Ryanair muda regras sobre bagagem de mão

A partir de 1 de novembro, apenas os passageiros com embarque prioritário vão poder levar duas bagagens de mão na cabine. O objetivo passa por evitar atrasos no embarque.

A empresa diz que os abusos na bagagem de mão são a causa de muitos atrasos na operação da companhia aérea low cost.

"Com o crescente volume de passageiros a usufruir da política de bagagem de cabine da Ryanair, que permite duas peças de bagagem de mão gratuitas, e com índices de ocupação elevados, o espaço nos compartimentos de cabine torna-se insuficiente para este volume de bagagem, o que tem causado atrasos nos voos", explica a Ryanair em comunicado.

Assim, a partir de 1 de novembro, apenas os passageiros com embarque prioritário - os que pagam um extra de cinco euros no momento da compra das passagens para poder escolher o lugar em que vão viajar - vão poder transportar duas malas dentro da cabine.

Os restantes passageiros apenas podem levar uma, enquanto a mala maior será "colocada no porão durante o embarque (gratuitamente)", esclarece a empresa.

Para compensar os clientes, a Ryanair faz outras mudanças: o peso máximo por mala aceite no check-in passa de 15 para 20 quilos e o custo de despachar a bagagem desce de 35 para 25 euros, para incentivar os passageiros a despachar as malas para o porão.

Com estas alterações, a transportadora espera reduzir os tempos de embarque e vai custar à Ryanair mais de 50 milhões de euros por ano em taxas de bagagem reduzidas.

  COMENTÁRIOS