Portagens

ACAP pede mudanças na lei para admitir mais 20 cm na altura na classe 1

A Associação Automóvel de Portugal diz que o sistema de classificação de veículos nas portagens está "desajustada no tempo".

A ACAP, Associação Automóvel de Portugal, quer que deixe de existir o critério do peso bruto mínimo de 2.300 quilos para os veículos poderem estar na classe 1 nas portagens em Portugal.

A industria automóvel defende uma alteração no sistema que separa as classes 1 e 2, nos veículos ligeiros, baseado na altura do eixo frontal.

Em causa está o limite de 1.10 metros no eixo dianteiro das viaturas. Quando ultrapassado, os carros passam para a classe 2 de portagens, mais cara.

Isto porque, diz o secretário-geral da ACAP à TSF, a legislação está "desajustada no tempo, ultrapassada e sem paralelo noutros países da União Europeia".

O representante da ACAP recorda que "nos últimos anos a indústria automóvel lançou pequenos veículos utilitários que têm uma altura frontal superior a 1m10, que não cumprem a legislação" portuguesa.

O aumento em 20 centímetros da altura medida na vertical do eixo dianteiro permitiria corrigir as principais distorções da atual lei, considera, abrindo o mercado aos SUV e pequenos crossovers.

  COMENTÁRIOS