TGV

Ana Paula Vitorino considera um «erro» a suspensão do TGV

No dia em que o ministro da Economia vai explicar em Madrid a suspensão do TGV, a ex-secretária de Estado criticou a decisão, acrescentando, na TSF, que nem a "troika" foi tão longe.

A ex-secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, considerou, esta manhã na TSF, que o Governo está a cometer um «erro» ao suspender o projecto de alta velocidade.

Ana Paula Vitorino afirmou que esta decisão revela «desconhecimento» e «alta de preocupação com o desenvolvimento do país»

«Este projecto é prioritário relativamente à União Europeia, já está acordado com Espanha e com a Comissão há muitos anos. Da parte de Espanha não vejo o que podem acordar na medida em que a linha de Lisboa até Caia está toda ela em obra ou já inaugurada. Portanto é desconhecimento e falta de preocupação com o desenvolvimento do país», contestou.

A deputada socialista sublinhou ainda que nem o memorando da "troika" exigia a suspensão do projecto do TGV.

«Não é por acaso que a 'troika' não retira este projecto dos planos de curto prazo, que tem muitos fundos comunitários, e por outro lado o encargo para o Estado na fase de construção é muito diminuto, estamos a falar de 100 milhões de euros», sublinhou Ana Paula Vitorino.

«É muito dinheiro, mas para este tipo de projecto e para a competitividade do país não tem nada a ver com os dois ou três mil milhões de que se fala relativamente ao projecto», acrescentou.

Esta quarta-feira, o ministro da Economia e Obras Públicas, Álvaro Santos Pereira, desloca-se a Madrid para explicar a decisão ao seu homólogo espanhol.

Há sinais de que o ministro português vai apelar a um maior investimento no transporte transfronteiriço de mercadorias para ajudar as exportações.

  COMENTÁRIOS