Bolsas

BES: CMVM quer saber se foi usada informação privilegiada na negociação de ações

Em comunicado, o regulador adianta que as ações do BES vão continuar cotadas em bolsa, ainda que de momento estejam suspensas, até nova informação.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) está a investigar a negociação de títulos do BES até ao momento em que as ações foram suspensas, na sexta-feira passada, para saber se foi usada informação privilegiada na transação dos títulos.

O regulador dos mercados financeiros emitiu hoje um comunicado a propósito do processo relacionado com o BES em que, num dos pontos, afirma que «abriu um processo de investigação aprofundada da negociação dos títulos do BES, nomeadamente, no dia 1 de agosto, para apurar a eventual existência de indícios de violação do dever de defesa do mercado e/ou de crime de utilização de informação privilegiada até ao momento em que a CMVM determinou a suspensão da negociação».

A CMVM suspendeu a negociação das ações do BES na sexta-feira à tarde, depois de o banco ter registado um novo mínimo histórico nos 0,105 euros, após uma queda de quase 50%, numa sessão de forte volatilidade e com elevado volume de transações dos títulos do banco.

A entidade liderada por Carlos Tavares diz, na nota hoje emitida, que resolveu suspender as ações «logo após ter tido conhecimento de iminentes desenvolvimentos que vieram a ser conhecidos durante o fim-de-semana».

A CMVM informou também que as ações do BES vão continuar cotadas em bolsa, ainda que de momento estejam suspensas, acrescentando que tomará novas decisões assim que «exista informação suficiente».

Apesar do fim do BES, a CMVM diz que para já o banco «continua a ser uma sociedade emitente cujas ações permanecem admitidas à negociação na Euronext Lisbon», ainda que desde sexta-feira a transação dos títulos esteja suspensa.

Por este motivo, diz a CMVM, o BES continua obrigado ao cumprimento dos deveres de informação a que as empresas cotadas estão obrigadas e, sempre que necessário, terá de divulgar informação ao mercado.

«Logo que exista informação suficiente, a CMVM ponderará o levantamento da suspensão ou a exclusão da negociação das ações e das obrigações do BES», acrescenta o regulador dos mercados financeiros.

  COMENTÁRIOS