Banca

BES teve impacto de 708 milhões de euros nas contas do Credit Agricole

Jean-Paul Chifflet, diretor-geral do Credit Agricole, disse sentir-se enganado pela família Espírito Santo e está já a preparar queixas contra a antiga direção do banco português.

O Banco Espírtito Santo teve um impacto de 708 milhões de euros nas contas do segundo trimestre de 2014 do banco francês Credit Agricole.

No dia em que a instituição bancária francesa apresenta contas, o diretor-geral do Credit Agricole explicou que o fim do BES terá um impacto limitado de cerca de sete pontos-base, que não colocam em risco as metas do banco.

Jean-Paul Chifflet disse ainda sentir-se enganado pela família Espírito Santo, «com quem estabeleceu uma verdadeira parceria» nos últimos anos, e está já a preparar queixas contra a antiga direção do banco português.

Por seu lado, o responsável financeiro do Credit Agricole explicou, entretanto, que já havia planos para acabar com a totalidade dos 14,6 por cento de participação que o banco francês tinha no BES em virtude dos acontecimentos das últimas semanas.

«Isso originou perdas no segundo trimestre de cerca de 708 milhões de euros. A situação agravou-se muito e o principal acionista do BES está agora com gestão judicial controlada», acrescentou Bernard Delpit.

Este responsável, que diz que não deverão existir novidades nos próximos tempos sobre a ligação do Credit Agricole e o BES, adiantou ainda que estes prejuízos impediram o banco francês de obter resultados históricos.

Notícias Relacionadas

  COMENTÁRIOS