Europa

Dívida da Grécia atinge máximo histórico

A dívida da Grécia ascende a «300 mil milhões de euros, a maior da história da Grécia moderna», declarou esta quinta-feira o vice-ministro das Finanças grego. Entretanto, vários dirigentes europeus mostraram-se preocupados com esta situação.

Segundo Philippos Sahinidis, vice-ministro das Finanças grego, a dívida da Grécia ascende a 300 mil milhões de euros, sendo o défice mais elevado em 16 anos.

A dívida pública da Grécia deve atingir 113 por cento do PIB no final do ano e 120 por cento em 2010.

A Grécia foi sancionada esta semana pela amplitude do seu défice orçamental pelas agências de notação. A degradação das suas notas fez cair o euro e as bolsas europeias.
 
Entretanto, a ministra dos Assuntos Europeus da Suécia, país que ocupa a presidência rotativa da União Europeia, afirmou que esta situação é «muito grave».

«Estamos bastante inquietos», declarou aos jornalistas Cecilia Malmstrom, pouco antes da abertura da cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Europeia, em Bruxelas.
   
O assunto não consta da agenda oficial da reunião, «mas imagino que os primeiros-ministros (e chefes de Estado) vão falar informalmente da questão, dado que a situação na Grécia é muito grave», afirmou.
   
«É uma situação difícil que exige tempo, coragem política e reformas», acrescentou.

O primeiro-ministro finlandês, Matti Vanhanen, disse que tem confiança que a Irlanda e a Grécia, países que registaram um considerável aumento dos défices e dívidas com a crise consigam manter a situação sob controlo.
   
«O mais importante é que tenhamos informação exacta sobre a situação» da Grécia, acrescentou numa referência à falta de fiabilidade das estatísticas gregas.
 
A chanceler alemã, Angela Merkel, já afirmou que os países da UE tem «uma responsabilidade comum» em relação à Grécia.
 
«O que se passa num país membro influencia todos os outros, em particular quando se tem uma moeda comum. É por isso que temos uma responsabilidade comum» em relação à Grécia, disse Merkel, após um congresso do Partido Popular Europeu, em Bona.

  COMENTÁRIOS