ajuda externa

Finlândia viabiliza apoio a Portugal, mas impõe condições

Jyrki Katainen, futuro primeiro-ministro finlandês, confirmou que as duas maiores forças partidárias do país «concordaram em apoiar a participação no resgate a Portugal».

O futuro primeiro-ministro finlandês indicou que o seu país irá apoiar o programa de ajuda externa a Portugal, mas exige a venda de activos estatais e a privatização de empresas públicas como pré-condição.

«O Partido da Coligação Nacional e o Partido Social-Democrata concordaram em apoiar a participação no resgate a Portugal», afirmou Jyrki Katainen, em declarações aos jornalistas.

O também líder do Partido da Coligação Nacional explicou que o acordo alcançado lhe dá uma maioria significativa para apoiar em Bruxelas um acordo de curto prazo a Portugal.

Já a líder dos sociais-democratas adiantou que está satisfeita com o acordo alcançado, mas que no futuro irá tentar adicionar a partilha de perdas com credores como uma componente dos programas de apoio financeiro a países com dificuldade.

Jutta Urpilainen adiantou ainda que este acordo constitui a quebra da promessa eleitoral do seu partido, mas que a mudança de opinião tem o apoio de toda a bancada parlamentar do partido.

Para além da venda de activos estatais e a privatização de empresas públicas, estes partidos querem garantias de que o Governo português não permitirá uma fuga massiva de capitais para o estrangeiro por parte de investidores privados.

  COMENTÁRIOS