Autoeuropa

Greve na Autoeuropa: sindicato disponível para diálogo com a administração

Na semana passada, a Comissão de Trabalhadores apresentou a demissão após os funcionários terem chumbado o acordo estabelecido com a empresa.

O sindicato que convocou a greve na Autoeuropa desconhece a recusa da empresa em negociar com estruturas sindicais.

Uma fonte oficial da fábrica de Palmela disse à TSF que, apesar da disponibilidade do sindicato que convocou a greve, só está disponível para negociar com a Comissão de Trabalhadores, por ser a única estrutura que representa os trabalhadores. E que de resto, tem representantes dos sindicatos.

Esmeralda Marques, dirigente da SITE Sul (Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul) disse à TSF que a Autoeuropa nunca referiu que não estava disponível para negociar.

Na semana passada, a Comissão de Trabalhadores apresentou a demissão depois dos funcionários terem chumbado o acordo que tinha sido estabelecido com a empresa. Em causa, o trabalho ao sábado a partir do próximo ano, algo que a empresa considera que é essencial para garantir a produção do novo modelo SUV T-Roc.

Ao Jornal de Negócios, o coordenador demissionário da Comissão de Trabalhadores, Fernando Sequeira, acusa os sindicatos de quererem tomar de assalto a comissão.

Esmeralda Marques não quer fazer comentários às declarações de Fernando Sequeira, mas lembra que ambos são importantes e são os trabalhadores que decidem.

Para já, as negociações com a empresa estão paradas. Esmeralda Marques garante que o SITE Sul não vai desistir e mantém a greve marcada para 30 de agosto.

  COMENTÁRIOS