Economia

Maria Luís Albuquerque vai receber cinco mil euros por mês na Arrow Global

É já a partir de amanhã que Maria Luís Albuquerque inicia as funções de administradora não executiva na gestora britânica, um cargo que está a causar polémica já que a antiga ministra das Finanças pretende continuar a exercer o cargo de deputada.

Maria Luís Albuquerque tem à sua espera em Manchester um ordenado de cinco mil euros brutos por mês, noticia a edição deste domingo do Diário de Notícias. De acordo com o mesmo jornal, Maria Luís Albuquerque vai trabalhar em média dois a quatro dias por mês e terá que estar presente em 10 reuniões por ano em que a Arrow Global reune todos os administradores.

A antiga ministra das Finanças ficará responsável por aconselhar a empresa nas áreas de auditoria e avaliação de risco. Por todo este traballho, a ainda deputada vai receber, segundo o Diário de Notícias, 70 mil euros anuais. Já o Correio da Manhã fala em cerca de 100 mil euros, mencionando que para além do ordenado, Maria Luís Albuquerque terá 10 mil euros pela participação em reuniões e um prémio em função dos resultados anuais obtidos.

A estas verbas a antiga ministra junta os mais de três mil euros de salário de deputada e 25 euros por dia para ir trabalhar ao parlamento. É por isso mesmo que a sub comissão de ética do parlamento vai reunir-se já na terça feira para saber se há ou não incompatibilidade entre as duas funções.

Para antigos titulares de cargos em orgão de soberania, a lei apenas prevê a impossibilidade de trabalharem no sector privado quando a pessoa tenha participado na privatização dessa empresa ou na atribuição de incentivos fiscais ou financeiros, o que não é o caso.

  COMENTÁRIOS