ajuda externa

Passos quer que 'troika' «não feche a porta a ajustes» do próximo Governo

O presidente do PSD desejou que a 'troika' não «feche a porta» a «ajustes» do próximo Governo e que «haja aposta no crescimento».

À margem da visita ao Hospital Narciso Ferreira em Riba de Ave, Vila Nova de Famalicão, Passos Coelho deu conta dos desejos do PSD sobre o trabalho da 'troika' que está a negociar o programa de ajuda externa a Portugal.

«O importante é que esse programa seja realista e que não fiquem fechadas as portas para que haja ajustes por um próximo governo», afirmou.

Além desta «margem de manobra», o líder social-democrata espera «que haja uma aposta no crescimento da economia», isto porque, explicou «para que não aconteça em Portugal o que aconteceu na Grécia: carregar muito na tecla da austeridade e cair na armadilha do incumprimento».

Alias, para Pedro Passos Coelho é fundamental «que se cumpra aquilo que for aprovado».

«Já falhámos vários PEC, o que tem custado muito a Portugal, e é importante que aquilo que vier a ser aprovado seja cumprido», realçou.

O líder do PSD disse ainda que «o país precisa de uma estratégia nacional e de ter um Governo com uma ampla base de apoio», esperando «que saia das eleições» essa base.

  COMENTÁRIOS