Governo

PM não espera mais austeridade mas frisa que não tem uma bola de cristal

O primeiro-ministro reiterou hoje que não espera adotar mais medidas de austeridade, mas advertiu que não tem uma «bola de cristal», por isso nunca poderá excluir totalmente essa hipótese.

Na sede nacional do PSD, em Lisboa, depois de formalizar a sua recandidatura à liderança deste partido, Pedro Passos Coelho foi questionado se não haverá mais austeridade em Portugal.

«Não tenho nenhuma bola de cristal. Como presidente do PSD ou como primeiro-ministro não me anuncio como um profeta», respondeu.

«O que posso é dizer aos portugueses que não temos, como referi ainda há poucos dias, nenhum elemento que nos leve a concluir que será necessário reajustar de tal forma o cenário macroeconómico, as perspetivas de desenvolvimento ao longo deste ano em Portugal, que isso tenha de conduzir à adoção de medidas novas que, de alguma forma, corrijam esse desempenho», completou.

Portanto, rematou Passos Coelho, «espero que não haja nenhuma curiosidade doentia em de cada vez que este exercício se faz haver a expetativa de que possam existir mais medidas. Elas existirão se forem indispensáveis e só se forem indispensáveis».

Pedro Passos Coelho defendeu ainda que «nenhum primeiro-ministro responsável diz 'eu nunca adotarei medidas adicionais'. Como primeiro-ministro, adotarei as que forem necessárias para impedir que o programa português não seja bem sucedido».

  COMENTÁRIOS