Economia

Portugal tem o salário mínimo mais próximo do salário médio na UE

De acordo com o Eurostat, Luxemburgo e Irlanda têm os salários mais elevados.

Portugal é o país da União Europeia (UE) com o salário mínimo mais próximo do salário médio, embora esteja a meio da tabela em termos brutos, no 12º lugar, com um salário de 650 euros. O valor é estimado tendo em conta a existência dos 13º e 14º meses, os subsídios de férias e de natal, já que o salário mínimo é atualmente de 557 euros.

Eurostat

Portugal tem a menor diferença entre os dois: o salário mínimo equivale a 64% do salário médio praticado no país. Seguem-se França e Eslovénia (ambos com 62%), Reino Unido (49%), Malta (48%), Eslováquia (46%), Irlanda e Espanha (ambos 45%), Estónia (40%) e República Checa (39%).

Destas contas, ficam de fora seis países porque não têm salário mínimo: Itália, Áustria, Chipre, Dinamarca, Finlândia e Suécia.

De acordo com dados divulgados esta sexta-feira pelo Eurostat, os salários mínimos mais elevados são os do Luxemburgo (1999 euros), Irlanda (1563), Holanda (1552), Bélgica (1532), Alemanha, (1498), França (1480) e Reino Unido (1397). Do lado oposto, os salários mínimos mais baixos são os da Letónia e a Lituânia (380 euros), a Bulgária (235 euros) e a Roménia (275 euros).

Na análise à evolução do valor dos salários mínimos na UE entre 2008 e 2017, o Eurostat nota que apenas desceu num país, a Grécia (-14%), tendo aumentado em todos os restantes, e em alguns casos para o dobro (Bulgária e Roménia, onde em 2008 eram respetivamente de 112 e 139 euros). Portugal registou um aumento de 31%, entre os 497 euros de 2008 e os 650 euros de 2017 (com 13º e 14º mês).

No programa de governo, está previsto que o salário mínimo em Portugal chegue, de forma faseada, aos 600 euros mensais, sem considerar os subsídios, durante a presente legislatura.

  COMENTÁRIOS