inflação

Senhorios podem aumentar rendas em 1,12% em 2018

É a maior subida desde 2014, de acordo com a taxa de inflação dos últimos 12 meses, divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística. Associação Lisbonense de Inquilinos está preocupada.

No próximo ano, as rendas podem vir a ser aumentadas 1,12%. Este valor tem por base a média de inflação dos últimos 12 meses, que será utilizada na atualização das rendas.

Este é o valor mais alto nos últimos cinco anos, desde que em 2014 a taxa de inflação foi fixada em 0,99%. Para encontrarmos um valor maior, é preciso recuar a 2013, ano em que a taxa foi de 3,36%. Este aumento irá abranger cerca de 800 mil contratos de arrendamento.

Esta atualização abarca os contratos que não foram alterados com o novo regime de arrendamento de 2012. De fora do aumento ficam as rendas que ainda não completaram um ano.

Contactada pela TSF, a Associação Lisbonense de Inquilinos mostra-se preocupada com este aumento que poderá ser significativo para inquilinos com rendimentos mais baixos.

O presidente Romão Lavadinho dá um exemplo: "Uma renda de 300 euros, que hoje praticamente é inexistente, vai ter um aumento de três euros e qualquer coisa. Nós consideramos que isso pode ser muito elevado para um agregado familiar que tenha um rendimento baixo. (...) Quando a inflação é maior, a situação é ainda mais complexa".

O presidente da Associação Lisbonense de Inquilinos defende que é necessário rever a legislação (que remonta a 1985) e mostra-se disponível para conversar com o Governo "novas soluções que não sejam a aplicação cega da inflação. A aplicação da percentagem devia ter alguns limites e devia ser em função dos rendimentos do agregado familiar".

  COMENTÁRIOS