Algarve

Turismo no Algarve: mais portugueses, menos britânicos

Em agosto, os turistas portugueses ficaram mais em hotéis do que em anos anteriores. Uma tendência que não se verificava há algum tempo e que os hoteleiros aplaudem até porque há menos ingleses.

A tendência nos últimos anos foi a dos turistas nacionais escolherem ficar em casa de familiares ou de amigos ou em habitações arrendadas, mas os números de agosto não mentem.

A Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) diz que os portugueses procuram agora mais estabelecimentos classificados como hotéis ou aparthotéis. A subida em relação ao ano anterior foi de dez por cento.

"Voltámos a recuperar após mais de um ano a subida dos nacionais nos empreendimentos turísticos classificados", diz o presidente da AHETA. Elidérico Viegas lembra que este é um bom sinal já que é no mês de agosto que o mercado português tem maior expressão.

O empresário salienta que o mercado alemão também está a subir, +4,6%,mas o britânico apresenta uma tendência contrária. Em julho, as viagens de ingleses já tinham descido 12,6% e em agosto acentuou-se ainda mais: menos 16,3%.

O Brexit e a descida da libra parecem ser os culpados e os hoteleiros consideram que é necessário encontrar alternativas, nomeadamente apostando em segmentos com maior poder de compra para manter o share no mercado inglês.

De qualquer modo, há mercados com menor expressão como a Polónia, a França, a Dinamarca ou a Bélgica que estão a subir e a compensar as perdas.

Este está a ser um bom ano turístico para o Algarve e os números não deixam dúvidas. "No mês de agosto tivemos uma subida no volume de vendas na ordem dos 4% e em termos acumulados, desde o início do ano, o Algarve regista mais 9% no seu volume de negócios relativamente ao ano anterior", indica o presidente da AHETA.

  COMENTÁRIOS