Economia

Venda de quatro mil casas por ano a estrangeiros no horizonte de associação

A Associação Portuguesa de Resorts crê que para se chegar a este objetivo são precisos incentivos fiscais com os atribuídos no programa Living in Portugal, apresentado esta segunda-feira.

A Associação Portuguesa de Resorts prevê que dentro de três anos se voltem a vender quatro mil casas por ano em Portugal a estrangeiros, tal como acontecia na última década.

No dia em que foi lançado o programa Living em Portugal, o presidente desta associação espera que assim o setor dê o salto quando forem escoados as seis mil habitações para estrangeiros agora em stock.

«Aí, acredito que a grande maioria dos resorts e dos promotores imobiliários avancem e comecem a construir e a terem a banca para os financiar. Até lá, os projetos irão estar muito parados», explicou Diogo Gaspar Ferreira.

Este responsável adiantou ainda que para isto são precisos incentivos fiscais com os do programa Living in Portugal, que prevê uma taxa única de IRS de 20 por cento para qualquer quadro qualificado estrangeiros que decida viver e ter residência fiscal em Portugal.

«Isso é um fator altamente motivador, porque na maior parte dos países europeus as taxas que se pagam são acima dos 35 e dos 40 por cento», acrescentou.

Diogo Gaspar Ferreira explicou também que «com o regime de residentes não habituais, tentaremos atrair reformados que, quando vierem para Portugal, ficarão isentos de pagamento de IRS».

O presidente da Associação Portuguesa de Resorts disse ainda ter ficado satisfeito com a medida que prevê a atribuição automática de visto para um estrangeiro que compre uma habitação em Portugal com valor superior a 500 mil euros.

  COMENTÁRIOS