Presidenciais 2016

Belém diz que foi vítima de tentativa de assassinato político

A candidata presidencial considera ainda que foi "vítima de ataques de caráter" por "ter cumprido a lei".

Durante um comício de pré-encerramento da campanha, no Porto, Maria de Belém afirmou que "foi vítima nesta campanha de duas coisas, uma delas o não se discutirem os programas de campanha nem a adequação do perfil dos candidatos às exigências do exercício do cargo de Presidente da República, mas fui sobretudo vitima de ataques de caráter e de tentativa de assassinato político que não me espanta nada porque eu, em Portugal, nunca vi ninguém atacar os medíocres".

A candidata acrescentou ainda que "se me atacam tanto e com tanta intensidade é porque algum receio eu suscito e já não é a primeira vez".

Agora, o que foi a primeira vez, segundo a antiga ministra socialista, e que "não sabia que podia acontecer num Estado de Direito", é que alguém a atacasse "em termos de caráter por ter cumprido a lei". "Isso é que eu nunca pensei", reforçou.

"As tentativas de assassinato relativamente ao que fiz ou não fiz por parte de quem nunca fez nada porque não esteve lá, isso eu não aceito, não admito e considero absolutamente inaceitável e é, por isso, que eu digo claramente que não contem que me desmoralizem por esses ataques torpes e soezes, porque é a melhor maneira de me reforçarem porque eu não sou a pessoa frágil que alguns pensam que sou quando olham para mim", frisou.

Maria de Belém deixou ainda um aviso: "Desenganem-se os que pensam que com esse de ataques me intimidam, reforçam sim a minha determinação, a minha postura e coragem".

  COMENTÁRIOS