Terror em Nice

Hollande promete reforçar ação militar na Síria e Iraque

O presidente francês, François Hollande, disse que a França vai reforçar a ação militar na Síria e no Iraque, em resposta ao atentado de Nice na quinta-feira, que fez pelo menos 80 mortos.

"Vimos violência extrema e obviamente temos de fazer tudo para combater este terrorismo", disse, numa declaração ao país.

"Nada nos fará vergar na nossa vontade de combater o terrorismo. Vamos reforçar as nossas ações no Iraque e na Síria. Continuaremos a visar os que nos atacam no nosso próprio solo", disse.

As declarações de Hollande foram feitas numa altura em que ainda nenhum grupo reivindicou o ataque em Nice, perpetrado com um camião lançado contra uma multidão que assistia a um espetáculo de fogo-de-artifício na avenida marginal da cidade.

As autoridades locais, como disse o próprio chefe de Estado francês, estão ainda a verificar se o condutor do camião tinha ou não cúmplices.

Um homem residente em Nice, franco-tunesino e com 31 anos - segundo a imprensa local - foi abatido pela polícia depois de conduzir um camião contra a multidão que estava a ver os festejos do Dia das Batilha, o dia nacional de França.

O balanço provisório do atentado é de pelo menos 80 mortos e mais de uma centena de feridos. Armas e granadas foram encontradas dentro do camião.

Hollande anunciou um reforço adicional das medidas de segurança, especialmente devido ao período do verão, e a ampliação por três meses do estado de emergência que vigora em França desde os atentados de Paris de novembro do ano passado e que deveria ser levando ainda em julho.

  COMENTÁRIOS