TSF

  • Menu
  • Ouvir Emissão
internacional

Grécia pede mais tempo para aplicar acordo entre UE e Turquia

O acordo que prevê que todos os migrantes ilegais que cheguem à Grécia a partir de domingo sejam repatriados não pode ser aplicado, afirmou fonte do governo helénico.

PUB
Alkis Konstantinidis/REUTERS

"O acordo sobre o reenvio de novos migrantes que cheguem às ilhas gregas deverá, segundo aquilo que foi estabelecido, entrar em vigor a 20 de março [domingo], mas um plano desse tipo não pode ser implementado em apenas 24 horas", afirmou o coordenador da política migratória do executivo de Alexis Tsipras, Giorgos Kyritsis.

O responsável referiu que após uma reunião de membros do governo, esta tarde, "o primeiro-ministro pediu a aplicação imediata do acordo" alcançado na sexta-feira, em Bruxelas.

"A verdade é que é preciso que as estruturas e o pessoal estejam preparados, e isso demora mais de 24 horas", sublinhou Kyritsis.

O acordo prevê o regresso à Turquia de todos os novos migrantes que cheguem no domingo à Grécia, mesmo os requerentes de asilo, como os sírios que fogem da guerra.

A Grécia obteve dos seus parceiros europeus o compromisso de um reforço imediato de cerca de 2.300 pessoas, entre as quais 400 especialistas em asilo e 400 tradutores, disse o primeiro-ministro, Alexis Tsipras.

Está igualmente previsto um apoio financeiro. Entretanto, Paris e Berlim estão prontos para enviar até 600 polícias e especialistas em asilo asseguraram, por seu turno, os ministros do Interior dos dois países em comunicado conjunto.

Hoje, milhares de pessoas manifestaram-se em várias cidades europeias em sinal de apoio aos migrantes que chegam ao Continente. As manifestações concentraram-se em Londres, Atenas, Viana, Barcelona, Amesterdão e em numerosas cidades suíças, segundo os jornalistas da AFP no local.

  COMENTÁRIOS

Ouvir Emissão