atentado em barcelona

Instituições espanholas cumprem minuto de silêncio

Filipe VI e Mariano Rajoy vão participar nas cerimónias na Plaza de Catalunya.

O Congresso e Senado espanhol, a Generalitat catalã e a Câmara Municipal de Barcelona convocaram um minuto de silêncio para o meio-dia desta sexta-feira (11h em Portugal), em rejeição ao atentado em Barcelona que matou 13 pessoas e feriu uma centena.

O rei e o presidente do Governo, Mariano Rajoy, vão participar no minuto de silêncio que acontece ao meio-dia na Plaza de Catalunya em Barcelona contra o atentado nas Ramblas.

O ato será acompanhado pelo presidente da Generalitat da Catalunha, Carles Puigdemont, e pela presidente da Câmara de Barcelona, Ada Colau, a que se junta também o secretário-geral do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), Pedro Sánchez, o líder do Podemos, Pablo Iglesias, e o do Ciudadanos, Albert Rivera.

O parlamento, que se encontra em período de férias, convocou uma concentração para o meio-dia.

Num comunicado, a Câmara Baixa expressou a sua "mais enérgica" rejeição ao "ato de barbárie" que aconteceu em Barcelona.

Também o Senado expressou as suas "mais sinceras condolências" e solidariedade com todas as vítimas do atentado em Barcelona, "uma cidade a todos nos sentimos hoje mais unidos que nunca", disseram fontes desta câmara.

A Federação Espanhola de Municípios e Províncias apelou a todas as autarquias que convoquem três minutos de silêncio.

  COMENTÁRIOS