Neve

Lesbos: Neve e frio deixam refugiados no "desespero"

O inverno rigoroso na Grécia está a complicar a vida de milhares de refugiados. A situação mais sensível verifica-se no campo de Moria onde as pessoas estão desesperadas.

As tendas pequenas, atoladas de neve e as temperaturas que atingem os 4 graus negativos estão a dificultar a vida aos refugiados do campo de Moria na ilha de Lesbos, na Grécia. Mariana Branco, a coordenadora da Plataforma de Apoio aos Refugiados em Lesbos fala em "desespero" lembrando que "as pessoas têm filhos, não conseguem dormir e estão desmotivadas porque não há uma resposta europeia" para esta situação.

"É uma angustia enorme, para além das condições climatéricas, estamos a falar de pessoas que estão a passar por depressões gigantes", afirma. Mariana Branco avisa que o inverno rigoroso que se faz sentir representa "um risco enorme para a saúde" uma vez que "com as pessoas a dormirem em tendas cheias de neve é impossível conter a propagação de doenças", nomeadamente a gripe.

A voluntária portuguesa em missão em Lesbos afirma que no campo de Moria, os refugiados recebem apenas algumas "peças de roupa e uma ou outra refeição" e "estão o dia todo sem nada para fazer", o que complica ainda mais a vida no campo.

A situação é "caótica" e no entender de Mariana Branco poderia ter sido evitada tendo em conta que as autoridades competentes foram alertadas para as consequências do inverno na Grécia.

A PAR, o Acnur e outras organizações não governamentais estão a preparar um plano de educação em saúde para que os refugiados sejam capazes de lidar com os primeiros sintomas de gripe e outras doenças associadas ao frio.

  COMENTÁRIOS