Angola

Luaty Beirão condenado a cinco anos e meio de prisão

Os 17 ativistas receberam penas de prisão entre os 2 e os 8 anos e meio pelos crimes de "atos preparatórios de rebelião e associação de malfeitores".

Além das referidas acusações, Luaty Beirão foi também por "falsificação de documentos". Volta para a cadeia para cumprir cinco anos e meio.

A pena mais pesada é de oito anos e meio e vai para Domingos da Cruz, jornalista e autor do livro "Ferramentas para destruir o ditador e evitar nova ditadura", que os ativistas estavam a ler no momento da detenção, numa livraria de de Luanda, em junho do ano passado.

Os restantes ativistas que, tal como Luaty, estavam em prisão domiciliária, vão para a cadeia durante quatro anos e meio. As penas mais leves são para os únicos dois ativistas que estavam em liberdade; Rosa Conde e Jeremias Benedito foram condenados a dois anos e três meses.

A página de Facebook de Luaty Beirão revela que a sentença vai ser cumprida em regime fechado.

Todos os ativistas terão de pagar uma taxa de justiça de 50 mil kwanzas, cerca de 278 euros.

Um outro, que não faz parte deste processo, de nome Francisco Mapanda, está a ser sumariamente julgado por ter gritado em tribunal que o julgamento "é uma palhaçada".

A defesa e o Ministério Público já anunciaram que vão recorrer da decisão.

  COMENTÁRIOS