Internacional

Lula da Silva condenado a 9 anos e seis meses de prisão

Aos 71 anos, é o primeiro ex-presidente a ser condenado.

Lula é o primeiro ex-presidente a ser condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no Brasil, após sentença do juiz da vara da cidade de Curitiba Sergio Moro, no âmbito da Operação Lava-Jato.

Considerou Moro que Lula recebeu indevidamente favores da OAS, uma das construtoras envolvidas no escândalo em torno da petrolífera estatal Petrobrás e que a Lava-Jato investiga.

Um desses favores recebidos foi um apartamento tríplex no Guarujá, praia no litoral do estado de São Paulo. Segundo o ministério público, que acusa o antigo presidente da República de receber em torno de 25 milhões de euros em desvios da Petrobrás, esse imóvel pertencia à família de Lula.

Disse Moro que "o condenado recebeu vantagem indevida em decorrência do cargo de presidente da República". "A responsabilidade de um presidente da República", prossegue Moro, "é enorme e, por isso, também a sua culpabilidade quando pratica crimes"

Em depoimento a Moro no início de Junho, Lula disse que nunca foi proprietário do apartamento e que a acusação não encontrou, nem encontrará, escrituras ou outros documentos assinados por ele. Atribuiu apenas à mulher, Marisa Letícia, falecida em Fevereiro, um eventual interesse, não levado adiante, na casa.

Lula, presidente do Brasil de 2003 a 2010, vai agora recorrer ao Tribunal Regional Federal de Porto Alegre, segunda instância do processo. Até agora, dos 43 condenados pelo juiz Sergio Moro na Lava-Jato esse tribunal absolveu 30%. Nos outros casos, diminuiu, confirmou ou até aumentou a pena.

Pré-candidato à presidência nas eleições de 2018 e líder destacado nas sondagens, Lula, que é réu em mais dois processos na Lava-Jato, pode ser preso apenas caso seja condenado em segunda instância antes do registo de candidaturas. Aí ficaria inelegível durante oito anos.

  COMENTÁRIOS