TSF

  • Menu
  • Ouvir Emissão
venezuela

Morreu Hugo Chávez (vídeo)

Nicolas Maduro, vice-presidente venezuelano, disse ter recebido a «informação mais dura e trágica que poderia anunciar ao nosso povo». O Governo de Caracas decretou sete dias de luto nacional.

PUB

O vice-presidente venezuelano confirmou, esta terça-feira, a morte de Hugo Chávez, que liderava o país há 14 anos e que lutava contra o cancro há dois anos.

Em declarações transmitidas pela rádio e televisão, um emocionado Nicolas Maduro indicou que «recebemos a informação mais dura e mais trágica que poderíamos anunciar ao nosso povo».

«Às 16h25 (20h55 em Lisboa) de hoje, morreu o nosso comandante presidente Hugo Chávez Frias depois de ter combatido duramente contra uma doença depois de quase dois anos», acrescentou.

Hugo Rafael Chávez Frias, que morreu aos 58 anos, foi eleito pela primeira vez em 1999 quando liderava o movimento da Quinta República, que tinha como objetivo criar um socialismo para o séc. XXI.

Chávez nasceu numa família operária, seguiu uma carreira militar e opôs à liderança de Carlos Andres Perez, o que lhe valeu dois anos na prisão, após a qual percorreu o país e a América Latina a defender a revolução.

Após as eleições de 1998, que ganhou com 56 por cento dos votos, Chávez criou um partido quase único, a União dos Socialistas, mudou a constituição e acabou por estar na origem de grandes mudanças à Esquerda na América Latina.

Apareceu então Lula da Silva como presidente do Brasil, Evo Morales na Bolívia, Rafael Correa no Equador, e regressou Daniel Ortega à Nicarágua.

A proximidade com Cuba, o apoio ao Irão, as visitas à Rússia marcaram a presidência de Chávez, que teve sempre o imperialismo norte-americano como principal inimigo, primeiro com George W. Bush e depois com Barack Obama.

Em 2002, após uma greve geral no país, Pedro Carmona, um dos homens mais ricos do país, declarou-se do governo interino e anulou a constituição, mas não teve apoio para seguir em frente.

Chávez acabou por regressar ao poder três dias depois e acusou os EUA de estarem por detrás deste golpe.

O presidente venezuelano teve também uma intensa relação com Portugal durante o governo de José Sócrates, não só após a encomenda de navios asfalteiros aos Estaleiros de Viana, mas por causa do negócio dos computadores Magalhães.

Numa reunião do seu conselho de ministros, Chávez chegou mesmo a testar a resistência dos Magalhães atirando computador fabricado em Portugal ao chão.

As cerimónias fúnebres de Hugo Chávez vão realizar-se na próxima sexta-feira e o Governo de Caracas decretou sete dias de luto nacional.

Notícia atualizada às 7h48

  COMENTÁRIOS

Ouvir Emissão