Internacional

Tanzânia quer expulsar povo masai e entregar terra ao Dubai para a família real caçar

Havia um acordo para não vender Maasai, uma terra na fronteira com o Parque Nacional do Serengeti, na Tanzânia. Mas o poder político parece ter mudado de ideias. O governo está a ser acusado de violar esse acordo. Uma petição global pode ser a última esperança dos masai.

O povo masai recebeu ordens para abandonar o território até ao fim do ano, de forma a que a região se torne uma reserva natural para a família real do Dubai caçar.

Em causa estão 40 mil pastores que vivem naquele território, segundo dados avançados pelo The Guardian.

No ano passado, o governo recusou a proposta de transformar esses 1500 quilómetros quadrados num safari com sede nos Emirados Árabes Unidos. Agora, parece ter voltado atrás e está a intimar os masai a abandonar o território.

Amanhã os representantes masai vão ter um encontro com o primeiro-ministro para debater o tema e sublinhar que a área é essencial para a subsistência de 80 mil pessoas.

Uma petição online, assinada um pouco por todo o mundo, em defesa do povo masai, e contra este negócio, já conseguiu mais de 1,7 milhões de assinaturas, desde agosto.

«Vamos manter a pressão», diz o texto da petição, de modo a impedir o presidente tanzaniano de assinar o polémico despacho.

  COMENTÁRIOS