França

"Uma luta a quatro": A análise de Ferreira Fernandes às eleições em França

O enviado do Diário de Notícias às presidenciais francesas disse acreditar que o ataque de quinta-feira vai ter consequências na votação, mas não de forma decisiva.

Para Ferreira Fernandes, estas eleições são completamente raras na política francesa. "As presidenciais sempre se dividiram entre gaullistas e socialistas e agora há quatro candidatos que têm muitas probabilidades de passar à segunda volta e estão dentro de uma margem de erro que não permite dizer quem vai ganhar. O que já sabemos é que só um deles pertence a uma dessas correntes, Fillon, que é gaullista".

Os quatro candidatos encontram-se numa margem muito estreita, de acordo com as sondagens, o que, nota Ferreira Fernandes, poderá causar a surpresa de que nenhum dos partidos que nos últimos 60 anos dominou a política francesa chegue ao Eliseu.

  COMENTÁRIOS