Internacional

Líder da UNITA pede aos governantes portugueses para não irem a Angola

A meses das eleições em Angola, Samakuva pede aos governantes portugueses para evitarem deslocações até aquele país "para não levantar suspeitas". Diz também que relação entre os dois países é boa.

O líder da UNITA, e candidato à presidência de Angola, esteve na Tarde TSF onde falou das relações de Portugal com o seu país, dos objetivos do partido nas legislativas de agosto e, entre outros temas, na vontade que nesse escrutínio estejam presentes observadores da União Europeia.

Sobre este ponto, Isaías Samakuva afirma que gostaria que observadores de alguns países Europeus marcassem presença em Angola durante a campanha, mas diz que da parte do Governo MPLA "parece não haver vontade" que isso aconteça.

Samakuva começa a entrevista dizendo que parte para a votação de 23 de agosto com "esperança de vencer" e, referindo-se ao MPLA - que está no poder há quatro décadas - diz que "se alguém nos conta a mesma história durante 40 anos, será nossa culpa se ainda acreditarmos nela".

  COMENTÁRIOS