TSF

  • Menu
  • Ouvir Emissão
síria

Portugal apoia processo de sanções por violação ao plano Annan

Portugal está entre os subscritores de um projeto de resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre a Síria, hoje circulado, que ameaça com sanções os atores que violem o plano Kofi Annan, anunciou o Reino Unido.

PUB

De acordo com a missão do Reino Unido nas Nações Unidas, o projeto de resolução «ameaçando sanções por incumprimento do plano de Annan», circulado pela diplomacia britânica, conta ainda com apoio de França, Alemanha e Estados Unidos.

O projeto de resolução foi circulado pelos 15 países membros, após um "briefing" do enviado das Nações Unidas e da Liga Árabe para a Síria, Kofi Annan

A missão de observadores na Síria (UNSMIS) tem as suas atividades suspensas a pouco mais de uma semana de expirar o seu mandato, a 20 de julho, e, segundo Annan, «nos próximos dias» o Conselho deverá pronunciar-se sobre o seu futuro.

De acordo com diplomatas que participaram no "briefing" de hoje, Annan defendeu que a resolução contemple «consequências» em caso de incumprimento do seu plano de paz.

Em cima da mesa dos diplomatas do Conselho de Segurança está também uma resolução apresentada pela Rússia sobre a Síria, defendendo a extensão do mandato da UNSMIS, mas recentrado na busca de uma solução política.

Hoje, o embaixador adjunto da Rússia na ONU, Igor Pankin, afirmou que o seu país não vai aceitar «medidas de coação» na resolução.

O embaixador da França da ONU, Gerard Araud, defendeu, após o "briefing" de hoje, que a resolução «abra a possibilidade de sanções» para quem violar o plano.

O roteiro de Annan prevê um cessar-fogo imediato e a retirada de armas pesadas de centros populacionais, disposições que não têm sido respeitadas.

  COMENTÁRIOS

Ouvir Emissão