Legislativas 2011

Passos Coelho lamenta incidentes no comício do PS em Faro

O líder do PSD lamentou profundamente, esta manhã, o que aconteceu na campanha do PS em Faro, mas condenou o recurso à violência sobre a manifestação.

Numa acção de campanha esta manhã em Vila Real, Pedro Passos Coelho lamentou os incidentes que marcaram o comício do PS em Faro, em que uma pessoa acabou mesmo por ser detida sido detida por recusar identificar-se.

O líder "laranja" espera que este tenha sido um «caso isolado» condenando quem, mesmo com razão para se mostrar indignado, escolha maneiras menos correctas para o mostrar.

Mas, Passos Coelho condenou também o uso da violência sobre a manifestação.

«Devemos sempre lamentar que a campanha eleitoral possa ter episódios com confrontações e de uma forma menos correcta que aquilo que deveria ocorrer. Portanto, lamento profundamente aquilo que aconteceu ontem com o Partido Socialista», comentou.

«Não creio que para mostrar a nossa indignação precisemos de utilizar outros meios que não os mais pacíficos. Da mesma maneira também não é normal que quando as pessoas se manifestam sejam tratadas de forma violenta. Espero que este episódio lamentável não se volte a repetir», declarou Passos Coelho.

O líder do PSD aproveitou também, esta manhã, para responder ao Ministério da Administração Interna, que exigiu um pedido de desculpas de Passos Coelho à Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) e à Universidade Católica, depois do PSD ter questionado o processo de escolha da entidade que vai fazer o tratamento jurídico dos processos de contra ordenação.

«Fazemos concursos a fazer de conta. Então para que fazem os concursos? E ainda esperam que eu não chame a atenção e não me indigne com esta maneira de governar?», questionou Passos Coelho.

«No dia em que o engenheiro Sócrates pedir desculpa aos 700 mil portugueses que ficaram sem trabalho e a toda a gente que ficou mais pobre e que passa dificuldades, depois falamos como o país tem sido governado», concluiu.

  COMENTÁRIOS