Legislativas 2011

Protestos marcam comício do PS em Faro (actual.)

Durante o comício do PS em Faro, ouviram-se assobios durante as intervenções do líder da distrital local do PS, mas também de José Sócrates. Uma pessoa acabou por ser detida.

Algumas dezenas de pessoas protestaram contra o Governo num comício do PS em Faro, mostrando desagrado com o que se passou na Groundforce e contra as portagens na Via do Infante.

No final do comício, manifestantes e socialistas quase chegaram ao confronto físico, depois de um coro de assobios se ter ouvido não só durante a intervenção do líder do PS/Faro, Miguel Freitas, mas também de José Sócrates.

Com uma voz muito rouca, o secretário-geral do PS, que também foi aplaudido pelos vários socialistas presentes no local, explicou que era um homem resistente e que não virava a cara às dificuldades.

Os protestos em Faro acabaram ainda com uma detenção por dois polícias à paisana depois de um manifestante se ter recusado a identificar-se perante as autoridades.

Pouco depois do comício, Miguel Freitas considerou que «não foi respeitado o direito democrático, porque houve um incumprimento».

«A lei diz que tem de haver um perímetro de 150 metros para que haja estas manifestações e eles estiveram a muito menos. Estiveram a 50 metros e estiveram permanentemente a agitar e interferir com o comício do PS», explicou o líder do PS/Faro.

Miguel Freitas entende que esta situação é «deplorável» e pediu que isto «não volte a acontecer», uma opinião partilhada também por José Sócrates.

Em declarações à SIC Notícias, o primeiro-ministro disse que esta acção foi feita por gente que não sabe usar os direitos dados pela democracia.

  COMENTÁRIOS