Barómetro TSF

PSD aumenta vantagem sobre o PS

No Barómetro Marktest/TSF/Diário Económico, os social-democratas convencem 38,5% dos inquiridos, contra 30,1% do PS. O CDS regista 9,7%, a CDU 8,5% e o BE 4,5%.

O PSD tem agora 8,4 pontos percentuais de avanço sobre o PS.

O reforço da vantagem de Passos Coelho sobre José Sócrates acontece, sobretudo, devido à quebra do PS, que cai 3,3 pontos em relação ao último estudo, publicado há 20 dias. O PSD perde apenas 1,2 pontos percentuais face ao Barómetro de 11 de Maio.

O CDS/PP sobe 7 décimas, segurando 9,7% das intenções de voto o que, em conjunto com o PSD, dá ao centro-direita uns confortáveis 48,2%.

Neste estudo, realizado entre 28 e 31 de Maio, o centro-esquerda (PS, BE e CDU juntos) consegue 43,1%.

À esquerda do PS, destaque para a trajectória descendente do Bloco de Esquerda. Depois de ter caído para os 4,8% em Maio, o partido de Francisco Louçã perde mais 3 décimas, estando nos 4,5%.

A CDU sobe dois pontos e convence 8,5% dos inquiridos.

A percentagem de pessoas que prefere não responder ou diz que não sabe em quem vai votar mantém-se elevada, fixando-se nos 32,4%, menos 6 décimas do que no anterior barómetro.

Já Paulo Portas subiu seis pontos percentuais em 20 dias para os 10 pontos positivos, suficiente para ultrapassar Cavaco Silva na liderança da lista popularidade de personalidades políticas.

O Presidente da República desceu 3,5 pontos percentuais para os oito pontos positivos, ao passo que José Sócrates recuperou 0,6 pontos para os 44 pontos negativos.

Por seu lado, Pedro Passos Coelho subiu 10 pontos, mas mantém-se ainda em terreno negativo (-14 pontos), enquanto que Francisco Louça e Jerónimo de Sousa subiram 13 pontos cada para os 27 e 18 pontos negativos, respectivamente.

  COMENTÁRIOS