TSF RUNNERS

Como celebrar o Dia Mundial da Atividade Física?

Esta semana, no dia 6 de abril, celebramos o Dia Mundial da Atividade Física de 2017. Felizmente, temos boas razões para o fazer uma vez que o ano que passou foi excelente para se conseguir avançar neste importante desígnio - a redução do sedentarismo - que tarda em ganhar massa crítica em Portugal e no mundo.

Internacionalmente, há razões para celebrar a publicação, em julho de 2016, da segunda série especial da prestigiada revista Lancet dedicada exclusivamente à atividade física. Publicado em ano de Jogos Olímpicos, este conjunto de artigos oferece uma rigorosa e abrangente atualização dos progressos, e também dos desafios, nesta área, por todo o mundo. Um dos artigos mais importantes desta série é uma análise pioneira dos custos globais da inatividade física (incluindo dados de 142 países). O final de 2016 marcou também a publicação da Declaração de Banguecoque Sobre a Atividade Física para a Saúde Global e Desenvolvimento Sustentável, um documento marcante que identifica oito contributos essenciais da área da promoção da atividade física e do desporto para se atingirem os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas para 2030. Reforça de forma importante o conjunto dos documentos orientadores para a definição de políticas públicas neste domínio.

Em Portugal, devemos também celebrar a publicação, em maio de 2016, da Estratégia Nacional para a Promoção da Atividade Física, Saúde e Bem-Estar, um documento redigido através de um processo participado, com contributos de um conjunto alargado de entidades e personalidades. Bem como se regista como um passo positivo a criação do Programa Nacional para a Promoção da Atividade Física, responsável pela implementação prática da referida Estratégia. Estas duas iniciativas da Direção-Geral da Saúde somam-se a outras já existentes (p.ex., o Programa Nacional de Desporto para Todos, do Instituto Português do Desporto e da Juventude), no sentido de um combate mais eficaz ao sedentarismo e às suas consequências.

Outros marcos a destacar no ano que passou em matéria de atividade física em Portugal incluem a apresentação em março de 2017 dos resultados do Inquérito Nacional Alimentar e da Atividade Física. Com informação recolhida presencialmente a aproximadamente 6000 indivíduos dos 3 aos 84 anos, os dados sobre o nível e tipos de atividade física dos portugueses ajudarão a definir as prioridades de intervenção; a reafirmação social da importância da disciplina de Educação Física, que legitima e justificadamente volta a contar para a média de entrada no ensino superior; diversas iniciativas por parte de importantes sociedades médicas, como a Sociedade Portuguesa de Cardiologia e a Sociedade Portuguesa de Medicina Desportiva, a revelarem vontade de intervenção própria na área da promoção do exercício físico; e finalmente uma clara aposta de várias Câmaras Municipais (p.ex., Lisboa e Cascais) em infraestruturas e serviços urbanos para incentivar a mobilidade ativa, tais como a disponibilização de sistemas partilhados de bicicletas e o aumento de vias pedonais e cicláveis. A este propósito, celebremos também a iminente candidatura de Lisboa a Cidade Capital do Desporto de 2021, que pode ser vista como um símbolo de todo o investimento realizado pelo poder local no chamado "desporto para todos" ao longo de muitos anos.

Por último, mas não menos significativo, assinala-se com expetativa positiva a criação, este mês, de uma Comissão Interministerial mandatada para o desenvolvimento do primeiro Plano de Ação Nacional para a Atividade Física em Portugal. Pretende-se que este Plano materialize um forte compromisso intersetorial e a eficaz capacitação, valorização e monitorização das principais iniciativas visando o aumento das oportunidades, capacidades e motivos para a população portuguesa ser mais ativa. O nosso país será um dos primeiros países na Europa a instituir uma plataforma de coordenação intersetorial com estas características - aliás uma recomendação constante em inúmeros relatórios e documentos orientadores - algo que será destacado publicamente no próximo dia 11 de abril, na Cidade do Futebol, numa sessão organizada pela Direção-Geral da Saúde.

Como celebrar tudo isto no dia 6 de abril? É fácil. Praticando o seu desporto ou a sua atividade física favorita, e motivando outros à sua volta para o fazerem também.

Pedro Teixeira é professor da Faculdade de Motricidade Humana e diretor do Programa Nacional para a Promoção da Atividade Física da Direção-geral da Saúde

  COMENTÁRIOS