Autárquicas 2017

CDU chama a si créditos na subida das reformas e pensões

Em ação de pré-campanha, esta manhã, em Castro Verde, no Alentejo, Jerónimo de Sousa reforçou que o país devia seguir o exemplo das autarquias da CDU, onde os trabalhadores trabalham apenas 35 horas.

A CDU vai exigir um novo aumento das reformas e das pensões no próximo orçamento de Estado. E, garante também o líder do Partido Comunista Português, exigir que as freguesias extintas sejam, de novo, repostas.

Em ação de pré-campanha, esta manhã, em Castro Verde, no Alentejo, Jerónimo de Sousa reforçou que o país devia seguir o exemplo das autarquias da CDU, onde os trabalhadores trabalham apenas 35 horas.

Jerónimo de Sousa arregaçou as mangas para reiterar que o partido que lidera esteve ao lado dos trabalhadores "com a reposição das 35 horas de trabalho", reforçando que "a CDU aplica nas suas câmaras os 25 dias de trabalho roubados pelo anterior governo".

Outras das lutas que o líder do PCP deixou claro que os comunistas vão travar é a reposição das freguesias extintas. "Exigir que as freguesias roubadas ao povo sejam devolvidas", garante.

Jerónimo de Sousa afirma que o PCP conseguiu aquilo que PS e BE não estavam emprenhados: o aumento da reforma e das pensões. "Admitiam o descongelamento, mas não perspetivavam qualquer aumento. A CDU agarrou na matéria, persistiu e em agosto cerca de dois milhões de reformados viram a suas reformas aumentadas em 10euro"

Ainda assim, diz. "É pouco. Este aumento é um ato de esperança que é preciso repetir no próximo orçamento de Estado"

Nota ainda para a educação. Manuais escolares gratuitos no 1º ciclo é bom, mas não chega. O PCP quer a medida alargada aos segundo e terceiro ciclos.

  COMENTÁRIOS