centrais sindicais

CGTP avisa Governo que vai intensificar a luta

Depois de Arménio Carlos ter elogiado o Executivo pelo "esforço para mudar", a Central Sindical promete agora intensificar nos próximos quatro anos a luta para tentar resolver os problemas dos trabalhadores. O Congresso aprovou também proposta de aumento do salário mínimo para os 600 euros.

Para concretizar os seus objetivos, a central sindical defende a necessidade de ser reforçado o papel e a ação dos sindicatos nos locais de trabalho, de forma a alargar a sua influência e dinamizar e intensificar a luta dos trabalhadores em defesa da valorização do trabalho e dos salários.

A reposição do direito de contratação coletiva, a revogação das alterações legislativas que agravaram as leis laborais, a redução do horário de trabalho e a redução da carga fiscal são outras das prioridades apresentadas no programa de ação.

A necessidade de criar emprego de qualidade para assegurar o futuro do país é outro dos temas fortes do programa de ação, que defende a urgência de ser definido um programa de desenvolvimento dirigido à revitalização do tecido produtivo.

O Congresso aprovou também por maioria a carta reivindicativa da CGTP que exige, entre outras matérias, a subida do salário mínimo nacional para os 600 euros em 2017 e a revogação imediata da sobretaxa de IRS.

Notícias Relacionadas

  COMENTÁRIOS