Eduardo Catroga

Conselho de Finanças Públicas tem sido "imune a pressões políticas"

Eduardo Catroga defende o trabalho realizado pelo Conselho das Finanças Públicas apesar de "em termos pragmáticos" considerar que "é importante a opinião da Comissão Europeia".

Na opinião do antigo ministro das finanças "o poder político, qualquer que ele seja, tem de tomar em consideração as recomendações técnicas de quem está preocupado com a sustentabilidade das políticas públicas, numa ótica de médio e longo prazo e não apenas num curtíssimo prazo".

Eduardo Catroga não tem dúvidas de que o Conselho das Finanças Públicas "tem feito um trabalho altamente meritório, altamente isento, imune a pressões politicas" e por isso "é um órgão que está a desempenhar bem o seu papel".

Confrontado com as declarações do Presidente da Republica, que relativizou os avisos do Conselho de Finanças sobre o Programa de Estabilidade, o antigo governante diz apenas que não interpreta as palavras de Marcelo Rebelo de Sousa "como a desvalorização do órgão nacional".

  COMENTÁRIOS