Política

Parlamento condena ataque químico na Síria, PCP e PEV votam contra

Voto assinado pelo PS e pelo PSD mereceu aprovação de todos menos do PCP e dos Verdes que pretendiam condenar o bombardeamento dos Estados Unidos à base aérea síria de Sharyat. Voto comunista chumbou.

O Parlamento português aprovou hoje um voto apresentado pelo PSD e pelo PS condenando o ataque com armas químicas, na Síria e chumbou um outro voto, da autoria do PCP, que visava condenar o recente ataque norte-americano à base aérea síria de Sharyat.

PCP e PEV ficaram isolados na defesa deste voto, que foi chumbado, e votaram contra o voto apresentado por socialistas e social-democratas.

No debate, João Oliveira do PCP e Telmo Correia do CDS envolveram-se numa acesa troca de palavras.

O líder da bancada comunista responsabilizou os Estados Unidos por uma "escalada de violência" e o centrista respondeu acusando os comunistas de estarem "bloqueados em 1940 ou em 1917 dizem mais uma vez : a culpa é dos Estados Unidos".

No contra-ataque, João Oliveira lembrou que os comunistas ainda aguardam pelas respostas dos antigos primeiro-ministro Durão Barroso e ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas a propósito das "armas de destruição massiva" que motivaram a guerra no Iraque.

  COMENTÁRIOS